Cuidado com as caravelas-portuguesas

De férias no litoral? Ou pensa em pegar uma praia no domingão? Atenção redobrada com as crianças! Além de eventuais águas-vivas, comuns em todo o litoral brasileiro, uma outra ameaça visita nossas praias. São as caravelas-portuguesas, que também provocam queimaduras, algumas muito graves.

É preciso orientar as crianças a não pisar, nem tocar, nas caravelas-portuguesas.

Ocasionalmente, nossas praias amanhecem com a areia pontilhada por caravelas-portuguesas. Esses seres marinhos contêm tentáculos urticantes, e o seu contato com a pele pode causar queimaduras graves, como as causadas pela água-viva.

O que dizem os médicos?

A caravela-portuguesa (…) é membro do mesmo filo da água-viva, Cnidários. Sua fisgada pode ser muito dolorosa e pode causar sintomas como calafrios, febre, náusea, vômito e choque. Em alguns casos, as fisgadas são fatais.

– Qualquer sintoma de reação alérgica (dificuldade respiratória, urticária, chiado no peito) requer atenção médica imediata;

– Não se automedique – ocorrendo qualquer reação, deve-se procurar atendimento médico imediato.

Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo

Como identificar uma caravela?

As caravelas-portuguesas, também conhecidas como caravelas-do-mar, são como pequenos balões arroxeados, que são trazidos para a areia da praia após flutuar longas distâncias no mar.

Debaixo desses balões, os tentáculos urticantes são arrastados dentro da água. Eles servem para matar pequenos peixes para alimentação da caravela-portuguesa. Embora possam chegar a ter até 50 metros, os tentáculos em geral aparecem recolhidos num pequeno montinho quando a caravela já está na areia.

O principal predador das caravelas-portuguesas são as tartarugas-marinhas, que são imunes ao seu veneno.

Leia Também

Fale conosco via WhatsApp!